quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Fogo, terra, água e ar na III Conferência

A III Conferência Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente já está sendo preparada. Nela jovens e crianças tem a chance de debater assuntos e estabelecer ações e responsabilidades relativos ao meio ambiente, permeados pelos quatro temas: fogo, terra, água e ar.

Os monitores da Sala Verde UFSC e representantes do Coletivo Jovem de Florianópolis, Clóvis Kuster e Juliana Gonzaga preparam os alunos de escolas da rede pública através de mini-conferências, onde as turmas de quinta a oitava série aprendem e discutem os temas.
Veja o vídeo feito pela Sala Verde UFSC sobre a III Conferência:

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Um yurt para morar

O que é um yurt? Descubra com a gente.

A equipe da Sala Verde UFSC recebeu nesta quarta a visita de Pablo Soria da Caravana da Paz. A Caravana percorre o mundo como um projeto itinerante de apoio ao desenvolvimento social através de voluntariado internacional. Os artistas viajantes fazem oficinas, palestras, cursos e apresentações de teatro, dança, música e artes circenses.
Pablo mostrou para a equipe uma das oficinas que a Caravana realiza, a de Eco-construção. Nela ensina-se como construir moradias sustentáveis e fáceis de montar e desmontar. Como os yurts, habitações circulares de origem mongol que podem ser feitas com bambu e lona.


A construção do yurt pode ser feita toda com material reaproveitado, com custo muito baixo. Essas casas podem ser levadas para qualquer lugar pela leveza da estrutura. Apesar disso elas são extremamente resistentes.

A equipe Sala Verde UFSC se mostrou muito interessada em fazer as oficinas e vamos buscar condições para realizá-las em breve.

Pablo faz parte também da rede de Ecovilas e percorre o mundo ensinando alternativas sustentáveis (a data da foto está trocada).

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Oficina de Plantas Medicinais - Marcela

No dia 06 de Agosto, Ana Magalhães e Schirley da Rosa apresentaram pela segunda vez a oficina de plantas medicinais, utilizando-se da Marcela (Achyrocline satureoids (Lam) DC).

Esta planta é indicada, entre outras coisas, para o tratamento de dor-de-cabeça, desordens menstruais, febre, resfriados, retenção de líquidos, reumatismo, disfunções gástricas e intestinais, insônia, suor, feridas, e também no auxílio estético, para clarear cabelo e contra a queda do mesmo.

No entanto, é contra-indicada para gestantes, pessoas sensíveis à erva (para tal é necessária uma análise médica) e seu uso por mais de uma semana, podendo causar anemia.

Nesta quarta-feira, 20 de Agosto, Ana Magalhães e Schirley da Rosa trarão como planta da semana, o Mastruço (Coronopus didymus).
A oficina tem início às 10:00h, na Praça da Cidadania, UFSC.

Postado por Fabrício Pacheco.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Viveiro de plantas no Núcleo de Desenvolvimento Infantil / UFSC

Os alunos do Núcleo de Desenvolvimento Infantil - NDI /CED/UFSC ganharam um viveiro de plantas!

Após estrutura metálica pronta e instalada (apoio da serralheria da UFSC), no dia 30 de julho, Neldo, Alexandre, Clarice e Clóvis iniciaram as atividades de costura do sombrite (tela de plástico) no teto do viveiro e corte de madeira, que serviu como bancada para as bandejas e sementeiras.

No dia primeiro de agosto, elaboramos a ligação da água e o sistema de irrigação, colocamos as bancadas e a porta. Finalmente, levamos as bandejas com as mudas para seu novo lar.

Com esse espaço os alunos poderão facilmente produzir suas mudas e vivenciar a produção de seu próprio alimento. Além disso, dentro da proposta "Sala Verde + Verde", que objetiva trabalhar conceitos ligados a conservação da biodiversidade, difusão de práticas agroecológicas e permaculturais, estamos valorizando o potencial paisagístico de espécies nativas da Mata Atlântica, espécies bioativas e promovendo a sustentabilidade de nossos jardins com produção de sementes.

As mudas, após o tempo correto, são transplantadas para a terra, na horta comestível. Ou então, usadas em projetos educacionais nas escolas, bem como em nosso jardim.

Quem participou: Neldo Wazlawick (Rede Semente Sul), Alexandre Schröder (Sala Verde/UFSC), Clarice Trindade (SV/UFSC), Clóvis Küster (SV/UFSC)

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Casa Eficiente: vale a pena conferir

Na última quinta-feira, dia 7, a equipe da Sala Verde UFSC foi conhecer o projeto Casa Eficiente, uma proposta de construção civil sustentável e de baixo impacto ambiental. O projeto é desenvolvido numa parceria da Eletrosul, Eletrobrás e do Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LABEEE) da UFSC dentro do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel).

A casa apresenta várias soluções no âmbito da eficiência energética, algumas já conhecidas por nós, como a geração de energia fotovoltáica e outras como o uso de esquadrias de vidro duplo, possuindo o gás Argônio entre elas, proporcionando o isolamento térmico do ambiente.

O sistema de tratamento de esgoto é feito por dois tanques (leito cultivado) com uma espécie nativa de junco e com camadas de: casca de arroz (ou serragem), saibro e areia, seixo rolado e, na base, uma camada de casca de ostra. As águas cinzas (proveniente do banho e tanque) passam por um destes tanque e são armazenadas para posterior utilização na irrigação do jardim. Os efluentes do vaso sanitário e pia da cozinha passam pelo outro tanque, e são, então, encaminhados para a rede de esgotamento sanitário.

A Casa Eficiente além de vitrine de tecnologias sustentáveis, também é a sede do Laboratório de Monitoramento Ambiental e Eficiência Energética (LMBEE-UFSC), onde várias atividades de pesquisa são desenvolvidas pela UFSC. A equipe que trabalha no projeto faz medições constantes para avaliar o nível do conforto térmico, eficiência energética e uso racional da água.

Quem quiser conhecer a casa pode agendar uma visita pelo fone (48) 3231-7374, de terça a sábado, das 9h às 17 horas.
Abaixo os dias destinados para os diversos públicos:
* Terças-feiras – estudantes universitários:
* Quartas-feiras – arquitetos e engenheiros;
* Quintas-feiras – população em geral;
* Sextas-feiras – estudantes do ensino médio;
* Sábado – população em geral.

Mais informações no site da Casa Eficiente.

Sala Verde UFSC apresenta novas propostas

Durante o recesso, os monitores da Sala Verde UFSC continuaram seus trabalhos em educação ambiental e meio ambiente. Novos projetos foram elaborados e discutidos para o semestre 2008/ 2. Um deles é o projeto de atuação no NDI, Núcleo de Desenvolvimento Infantil, da UFSC.
No NDI foi contruído um viveiro de plantas para a produção de mudas. Esse projeto está no âmbito conceitual de Espaço Disseminação, um dos três espaços constantemente afirmados pela atuação da Sala Verde UFSC.

O projeto está sendo elaborado pelos monitores Alexandre Schöder e Fabrício Pacheco com a colaboração de Neldo Wazlawick, da Rede Semente Sul, e orientação da coordenadora da Sala Verde, Clarice Trindade.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Mitos sobre a reciclagem: lixeiras coloridas?

Quando se fala em reciclagem, muita gente acha complicado separar o lixo para a coleta seletiva. Isso porque convencionou-se pensar que a separação do lixo devia ser feita por tipo de material em lixeiras coloridas. Os monitores da Sala Verde, Fabrício Pacheco e Alexandre Schröder, fizeram uma pesquisa sobre resíduos sólidos e descobriram pelo menos dez cores diferentes para a separação do lixo.

Ao final da pesquisa eles chegaram à conclusão de que apenas duas lixeiras dão conta do processo doméstico de seleção: uma lixeira para material orgânico e outra para o material seco. Isso porque o caminhão da coleta seletiva mistura todo o material seco que será separado na triagem feita pelos catadores.

No município de Erechim, Rio Grande do Sul, a monitora Juliana Frandalozo pôde comprovar a eficiência de se focar a coleta em duas lixeiras. A colocação de duas lixeiras - uma amarela para lixo seco e uma marrom para lixo orgânico - na frente de cada residência ou ponto comercial é agora obrigatória por lei. [veja a legislação de Erechim]

A medida proporcionou maior discussão sobre o destino do lixo. Por toda a cidade, a populaçaõ aderiu e colocou as duas lixeiras. Os moradores que não compraram, fizeram suas próprias lixeiras, de vários tipos e tamanhos, com caixas de madeira e latões ou reaproveitando materiais que estavam sem uso como pedaços de grade, tela, canos de PVC e tambores. As lixeiras elaboradas de forma criativa não só são utilizadas para o processo de reciclagem como serviram ainda para ressaltar outro ponto importante dos 3'Rs': reutilizar.

Quem quiser saber mais informações sobre reciclagem, acesse o site do Programa de Reciclagem Consciente de Florianópolis.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

FICA na UFSC

A I Mostra de Cinema Ambiental "FICA na UFSC", apoiada pela Secretaria de Cultura e Arte da UFSC – Secarte - e a Agência Goiânia de Cultura Pedro Ludovico Teixeira, começa no dia 13 de agosto nos auditórios do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) e do Centro de Ciências da Educação (CED), sendo resultado da 10ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental - FICA, realizado em Goiás.
O FICA surgiu da iniciativa de Luiz Felipe Gabriel, Jaime Sautchuk, Adnair França e Luís Gonzaga, em 1999, sendo coordenado pelo cineasta João Batista de Andrade.

A entrada para a Mostra na UFSC é gratuita e os filmes são oriundos de países como Dinamarca, Reino Unido, França e Grécia (com legenda), além do Brasil.

A organização da Mostra na UFSC é de Leandro Belinaso Guimarães e Wladimir Garcia, com promoção do 10º. FICA - Festival Internacional de Cinema Ambiental, TECENDO/UFSC - Grupo de Estudos em Educação Ambiental e Estudos Culturais LINHA “ECO” – PPGE/UFSC (Programa de Pós-Graduação em Educação).

Para maiores informações:
contato com Leandro Belinaso Guimarães pelo telefone (48) 8833-3447

A programação está disponível no site da Secretaria de Cultura e Arte/UFSC:
Fonte: Secretaria de Cultura e Arte da UFSC.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Plantas bioativas: Marcela na Ecofeira

Na Ecofeira de amanhã, a Sala Verde UFSC traz a farmacêutica do projeto Farmácia Viva e colaboradora do Horto Medicinal do Hospital Universitário, Ana Magalhães. Ela vai dividir seus conhecimentos sobre a Marcela e espécies afins em mais uma oficina sobre plantas bioativas.

A oficina começa às 10h, é gratuita e aberta a todos os interessados.

Planta da semana: Marcela (Achyrocline satureoids(Lam)DC) e espécies afins
Família: Asteracea

Plantas bioativas são aquelas capazes de gerar substâncias que alteram ou interferem no organismo de pessoas, animais ou outros vegetais. São chamadas popularmente de plantas medicinais, os famosos chás e temperos verdes.


Notícias:
Primatas correm risco de extinção, diz estudo
Estudo: Amazônia pode virar savana a partir de 2050